Arquivo mensais:dezembro 2014

30 de dezembro

Vendas no Natal têm primeira queda em cinco anos, revela SPC Brasil

O comércio varejista registrou o Natal mais fraco no volume de vendas dos últimos cinco anos. O movimento de vendas a prazo na semana que antecede o Natal, entre os dias 18 e 24 de dezembro, caiu 0,7% em relação ao ano passado, segundo o indicador do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Nos anos anteriores as variações positivas foram de 2,97% em 2013; 2,37% em 2012; 2,33% em 2011 e 10,89% em 2010.

De acordo com a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o resultado negativo reflete a tendência de desaquecimento das vendas no varejo observado ao longo de 2014, em virtude do cenário econômico desfavorável, com crédito mais caro, inflação elevada e baixa confiança do consumidor.

“A inflação pesou no bolso dos consumidores. Os juros estão mais elevados e os rendimentos dos trabalhadores já não crescem com tanto vigor como nos últimos anos, o que é fundamental para aquecer o consumo das famílias”, afirma a economista.

Promoções

Na avaliação dos economistas do SPC Brasil, o movimento econômico nos últimos dias do ano e nas primeiras semanas de janeiro dependerá da criatividade dos lojistas. “Como essa é a famosa semana das trocas de presentes, a expectativa é de que as promoções reaqueçam o mercado até o final de janeiro. Com os tradicionais descontos, o comerciante tem a oportunidade de emplacar novas vendas para melhorar o fraco desempenho no Natal”, afirma.

O Natal é considerado pelos lojistas como a data comemorativa mais importante em faturamento e volume de vendas e costuma movimentar, principalmente, artigos de vestuário, calçados, cosméticos, perfumaria, eletrodomésticos da linha branca e eletrônicos.

Fonte: SPC Brasil

18 de dezembro

Lojistas do Centro sorteiam prêmios para aumentar as vendas no fim do ano

Hoje é o último dia da campanha “2º Natal Centro Vitória”, desenvolvida pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade e que conta com a participação de mais de 50 lojistas da região.

Os consumidores que forem às compras no Centro da capital vão concorrer a prêmios. A campanha, que começou no dia 18 dezembro, funciona da seguinte forma: a cada R$ 50 em compras, o cliente poderá concorrer a uma moto Honda. E também será entregue uma bicicleta para o vendedor que atender o cliente sorteado. Ao todo, serão distribuídas três motocicletas e três bicicletas.

O sorteio está marcado para o dia 30 de dezembro, às 15 horas, no auditório da CDL Vitória, e será acompanhado por um auditor.

“Será uma grande oportunidade para os lojistas atraírem mais clientes para o Centro, que estarão pelas ruas em busca de presentes e para apreciar as atrações culturais na região”, disse o presidente da CDL Vitória, Carlo Fornazier.

24 de dezembro

Inflação deve convergir para o centro da meta em 2016, diz Banco Central

O diretor de Política Econômica do Banco Central (BC), Carlos Hamilton Araújo, garantiu nesta terça-feira (23), ao comentar o Relatório de Inflação do quarto trimestre, que as ações de política monetária levarão o índice para o centro da meta (4,5%) em 2016. A meta de inflação estabelecida pelo governo é 4,5% e pode variar dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

Segundo Araújo, o papel da política fiscal é “subsidiário”, mas cria um ambiente que permite reflexos aos preços. Ele avaliou ainda que uma política de contenção dos gastos públicos ajudará o governo a atingir seus objetivos. A futura equipe econômica, que assume a partir de janeiro, já sinalizou que não vai medir esforços para obter superávit primário – economia para o pagamento de juros da dívida pública – de 1,2% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2015, além buscar maior crescimento econômico.

O Relatório de Inflação do quarto trimestre mostra que o BC estima em 0,2% o crescimento da economia para este ano. Para o PIB, a previsão é 0,5 ponto percentual abaixo da estimativa considerada no Relatório de Inflação anterior e de 0,6% para o acumulado em quatro trimestres até setembro de 2015, informou o BC. O PIB é a soma de todas as riquezas do país.

No que se refere ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o BC projeta inflação de 6,4% em 2014, 6,1% em 2015 e 5% em 2016. Os dados levam em conta o conjunto de informações disponíveis até 5 de dezembro deste ano, o cenário de referência, que pressupõe a manutenção da taxa de câmbio em R$ 2,55 para cada US$ 1 e a meta para a taxa Selic [taxa básica de juros] em 11,75% ao ano.

O relatório destaca ainda que, no cenário de mercado, que incorpora dados da pesquisa feita pelo Departamento de Relacionamento com Investidores e Estudos Especiais, as projeções indicam inflação de 6,4% em 2014, 6,% em 2015 e 4,9% em 2016.

Para manter a inflação sob controle, o BC reforça a posição do Comitê de Política Monetária. O comitê tem defendido que, em momentos como o atual, “a política monetária deve se manter especialmente vigilante, de modo a minimizar riscos de que níveis elevados de inflação, como o observado nos últimos 12 meses, persistam no horizonte relevante para a política monetária. Nesse sentido, o comitê irá fazer o que for necessário para que, no próximo ano, a inflação entre em longo período de declínio, que a levará à meta de 4,5% em 2016”.

O BC evitou, no entanto, usar o termo “parcimônia”, usado pelo Copom nos comunicados. Segundo Carlos Hamilton, a palavra usada pelo comitê é uma palavra “código como as outras na comunicação do Banco Central” . Segundo ele, cumpriu o papel esperado no Copom naquele momento. “Utilizamos essa palavra, mas hoje a mensagem é outra. Para onde a Selic vai, eu não sei. O Copom vai decidir isso ao longo do tempo para colocar a inflação na meta em 2016. Qualquer coisa que eu fale é mera especulação”, declarou.

Fonte: Jornal do Brasil

06 de novembro

Lojistas do Centro sorteiam prêmios para aumentar as vendas no fim do ano

Os consumidores que forem às compras no Centro da capital neste fim de ano vão concorrer a prêmios. É a campanha 2º Natal Centro Vitória, desenvolvida pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade e que conta com a participação de mais de 50 lojistas da região.

Até o dia 29 de dezembro serão distribuídos os cupons da promoção, que funcionará da seguinte forma: a cada R$ 50 em compras, o consumidor poderá concorrer a uma moto Honda. E também será entregue uma bicicleta para o vendedor que atender o cliente sorteado. Ao todo, serão distribuídas três motocicletas e três bicicletas.

O sorteio está marcado para o dia 30 de dezembro, às 15 horas, no auditório da CDL Vitória, e será acompanhado por um auditor.

“Será uma grande oportunidade para os lojistas atraírem mais clientes para o Centro, que estarão pelas ruas em busca de presentes e para apreciar as atrações culturais na região”, disse o presidente da CDL Vitória, Carlo Fornazier.

22 de dezembro

Inadimplência cresce entre os idosos, mas diminui entre os mais jovens

Impulsionados pela facilidade do crédito, os idosos estão se tornando mais inadimplentes, enquanto os mais jovens, com a entrada tardia no mercado de trabalho, têm passado a atrasar menos os compromissos financeiros.

A conclusão é do indicador de inadimplência apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) que mostra que o aumento de atrasos no pagamento de dívidas apresenta comportamento diferente a depender da faixa etária do consumidor. No último mês de novembro na comparação com o mesmo período de 2013, o número de dívidas atrasadas entre os consumidores de 65 a 84 anos anos subiu 7,89% – percentual maior que o crescimento da média nacional de 3,53% – enquanto houve uma queda de 7,02% dentre os brasileiros com idade entre 18 a 24 anos.

Hoje, segundo estimativas do SPC Brasil, existem aproximadamente 6,3 milhões de jovens entre 18 e 24 anos com restrições no CPF por conta de atrasos financeiros. Isso representa pouco mais de um quarto (26%) da população brasileira compreendida nesta faixa etária. Com relação à população entre 65 a 84 anos, são quase 3,8 milhões de inadimplentes, o que significa que pouco mais de 27% dos brasileiros nesta faixa etária têm pelo menos uma conta atrasada.

O indicador do SPC Brasil revela que existem diferenças significativas nos tipos de dívidas entre jovens e idosos.Indivíduos com idade entre 18 a 24 anos têm participação de apenas 1,53% nas dívidas atrasadas com companhias de água e luz, enquanto que a participação deste segmento entre ao mais idosos aumenta para 15,88%.

Por outro lado, os jovens ganham destaque nas dívidas no comércio. Consumidores desta faixa etária representam 28% dos indivíduos que devem para estabelecimentos comerciais, ao passo que a participação dos idosos neste segmento cai para 16%, segundo dados do indicador.

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o aumento da expectativa de vida do brasileiro e, consequentemente, a permanência por um período mais prolongado no mercado de trabalho e de consumo é um dos fatores principais que explica o expressivo aumento da população idosa nos cadastros de inadimplentes.

Outros motivos que também impactam a vida financeira deste grupo são a diminuição da renda real com a aposentadoria, o aumento das despesas com remédios e planos de saúde, a facilidade para contrair empréstimos consignados e a prática de emprestar o nome para terceiros realizarem compras a prazo – geralmente familiares.

Já a tendência de redução do percentual de inadimplentes com até 24 anos de idade é explicada pelo fato de que os brasileiros mais jovens têm demorado mais tempo para conquistar a independência em relação aos pais e a iniciar a vida adulta.

“Os jovens estão conseguido se dedicar a mais anos de estudo em detrimento da entrada no mercado de trabalho. Dessa forma, eles continuam morando na casa dos pais, o que implicaria em gastos menos elevados com supermercado, condomínio e serviços básicos, como é o caso das contas de água e de luz”, afirma a economista.

Fonte: SPC Brasil

18 de dezembro

Lojistas do Centro sorteiam prêmios para aumentar as vendas no fim do ano

Os consumidores que forem às compras no Centro da capital neste fim de ano vão concorrer a prêmios. É a campanha 2º Natal Centro Vitória, desenvolvida pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade e que conta com a participação de mais de 50 lojistas da região.

A partir desta quinta-feira (18) até o dia 29 de dezembro, serão distribuídos os cupons da promoção, que funcionará da seguinte forma: a cada R$ 50 em compras, o consumidor poderá concorrer a uma moto Honda. E também será entregue uma bicicleta para o vendedor que atender o cliente sorteado. Ao todo, serão distribuídas três motocicletas e três bicicletas.

O sorteio está marcado para o dia 30 de dezembro, às 15 horas, no auditório da CDL Vitória, e será acompanhado por um auditor.

“Será uma grande oportunidade para os lojistas atraírem mais clientes para o Centro, que estarão pelas ruas em busca de presentes e para apreciar as atrações culturais na região”, disse o presidente da CDL Vitória, Carlo Fornazier.

Site - NATAL a

2º Natal Centro de Vitória

Quer ganhar uma moto nesse fim de ano?

Venha fazer suas compras no Centro de Vitória e concorra a uma Moto Honda zerada.

A promoção vai do dia 18 a 29 de dezembro nas lojas participantes e o sorteio será no dia 30 de dezembro.

Prestigie o comércio do Centro de Vitória! Mais vantagens e facilidades para suas compras.

Aproveite, as lojas estarão abertas em horário especial.

CONFIRA AS LOJAS PARTICIPANTES:

A Esportiva
Artesanato Brasil
Balãozinho
Brasileirão
Camisaria Brasil
Center Comércio Instrumentos
Center Moda
China Presentes Bijuteria
Chocolate e Festa
D Campanha
Dê Tristão Modas e Acessórios
Destaque da Moda
Doramila
Eletrovix
FG Suplementos
Fumaral
Girus Homem
Girus Magazine
HMR Fit
Hotel Cannes
Imperial Móveis
Joalheria Primo
Karpos Confecções
Kassia Modas
Lojas Mercadão
Maxcol
Megalar
Mercadão Moda Infantil
Midgard Tattoo
Modeladores Cintura Fina
Motta Confecções
Óticas Diniz
Óticas Pandolfi
Pin-Up Moda Alternativa
Pisalle Calçados
Preserve Multimarcas
Rei das Roupas
Ricco Sabor
Rick Surf
Rio Jóias
Sonho dos Pés
Tayna Modas
Top Music
Unimoda Confecções
V Mix Modas
Vitória Puffs
Zhang Comercial

REGULAMENTO:

1) Promoção válida no município de Vitória do Estado do Espírito Santo, realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Vitória, com sede na Av. Governador Bley, 155 – Centro, Vitória/ES, inscrito no CNPJ nº 28.160.083/0001-03, no período de 18/12/2014 a 29/12/2014.

2) Esta promoção é voltada para todos os consumidores das lojas localizadas no Centro de Vitória, que aderirem a promoção 2º Natal Centro. Para participar da promoção no período de 18/12/2014 a 29/12/2014, os clientes que adquirirem mercadorias, nas lojas participantes receberão a cada R$ 50,00 (cinquenta reais), um cupom de participação, devendo preenchê-lo com seus dados pessoais (Nome, Data de Nascimento, RG, CPF, Telefone, Endereço, bairro, CEP, Cidade e Estado), bem como responder a seguinte pergunta: “Qual a promoção que dá prêmios neste natal?, devendo responder o consumidor: 2º Natal Centro Vitória. Haverá ainda a opção: Outros, onde o caso o consumidor marque estará automaticamente desclassificado. Deverão ainda constar preenchidos no referido cupom o nome do vendedor e o nome da loja que efetuou a venda.

3) Os participantes deverão depositar os cupons nas urnas disponíveis nas lojas participantes.

4) Não serão acumulados cupons de uma apuração para outra.

5) Não poderão participar do concurso funcionários da Câmara de Dirigentes Lojistas de Vitória, sendo que no momento da apuração, o auditor do sorteio estará de posse de uma relação em ordem alfabética com os nomes dos funcionários da empresa promotora para verificação.

6) Só terão validade os cupons originais, recebidos no ato da compra, até o dia da cada apuração. Os cupons distribuídos em um período não poderão participar de nenhuma das apurações dos períodos seguintes, sendo que os cupons informarão qual o período e a data da apuração que participarão.

7) Não terão validade inscrições que não preencherem as condições básicas do concurso e que impossibilitarem a verificação de sua autenticidade.

8) Forma de apuração: Todos os cupons preenchidos, com todos os dados solicitados serão enviados para o local das apurações e colocados em uma única urna. Dessa urna, serão retirados, aleatoriamente, tantos cupons quanto forem o número de prêmios a distribuir em cada apuração.

9) Serão 03 apurações, sendo distribuídos os seguintes prêmios em cada apuração. Da 1ª à 3ª apuração: 01 moto Honda Pop 100, marca Honda ano/modelo 2014/2015, no valor unitário de R$ 5.000,00 e uma bicicleta Caloi, modelo Alumínium, no valor unitário de R$ 619,00. Prêmios no valor total de R$ 16.857,00.

10) Data da apuração: serão realizadas 03 apurações, durante toda a promoção, sendo todas no dia 30/12/2014, referente aos cupons recebidos no período de 18/12/2014 a 29/12/2014, destacando que os prêmios serão adquiridos dentro do prazo legal estabelecido.

11) Local das apurações: As apurações acontecerão Câmara de Dirigentes Lojistas de Vitória, , com sede na Av. Governador Bley, 155 – Centro, Vitória/ES, na data prevista, às 15h, com livre acesso aos interessados. Os cupons poderão ser depositados nas urnas até as 12 horas no dia da apuração.

12) A entrega dos prêmios será na Av. Governador Bley, 155 – Centro, Vitória/ES, em até 30 dias a contar da data da apuração de acordo com o Decreto 70951/72 – Artigo 5º. Os prêmios distribuídos deverão ser livres e desembaraçados de qualquer ônus para os contemplados e não poderão ser convertidos em dinheiro.

13) A prescrição do direito aos prêmios é de 180 dias após a data de cada apuração, de acordo com o artigo 6º do Decreto 70951/72.

14) Não terão validade cupons que não preencherem as condições básicas do concurso e que impossibilitarem a verificação de sua autenticidade.

15) O resultado do concurso será divulgado no site da CDL Vitória e no Jornal Institucional da entidade, e os contemplados notificados pela empresa por telegrama, carta, email ou telefone, podendo ainda ser utilizado o nome, som de voz e imagem dos contemplados sem qualquer ônus pela empresa promotora para a divulgação do resultado desta promoção, pelo prazo máximo de 01 (um) ano, após o encerramento desta.

16) As dúvidas e controvérsias oriundas de reclamações dos consumidores participantes da promoção deverão ser preliminarmente, dirimidas pelos seus respectivos organizadores e, posteriormente, submetidas à Caixa Econômica Federal. O Procon, bem como os órgãos conveniados, em cada jurisdição receberão as reclamações devidamente fundamentadas, dos consumidores participantes.

17) Em decorrência do artigo 10 do Decreto 70.951/72, não poderão ser objeto de distribuição gratuita de prêmios os seguintes itens: Art 10. Não poderão ser objeto de promoção, mediante distribuição de prêmios, na forma deste Regulamento: I – Medicamentos;II – Armas e munições, explosivos, fogos de artifício ou de estampido, bebidas alcoólicas, fumo e seus derivados;III – Outros produtos que venham a ser relacionados pelo Ministro da Fazenda. Parágrafo único. Consideram-se bebidas alcoólicas, para efeito deste decreto, as bebidas potáveis com teor alcoólico superior a treze graus Gay Lussac. (Incluído pelo Decreto nº 2.018, de 1996)

18) Deverá constar obrigatoriamente em todo material promocional o numero do certificado de autorização emitido pela Caixa Econômica Federal.

19) Certificado de Autorização CAIXA n° 6-3214/2014. DISTRIBUIÇÃO GRATUITA DE PRÊMIOS.

17 de dezembro

17 milhões de consumidores devem ir às compras de última hora neste Natal

O jeitinho brasileiro de deixar tudo para a última hora deve prevalecer mais uma vez neste Natal. Se depender do consumidor, os corredores das lojas e dos shoppings vão ficar lotados nesse fim de ano. Um estudo realizado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pelo portal de educação financeira Meu Bolso Feliz em todas as capitais brasileiras estima que 17 milhões de consumidores vão deixar para comprar os presentes faltando uma semana para o Natal – no ano passado, este número era de 16,5 milhões de pessoas.

A pesquisa também mostra que apenas 5% dos entrevistados disseram que vão deixar de comprar o presente para aproveitar as liquidações de início de ano. Este percentual sobe para 13%, quando analisados apenas os consumidores com mais de 50 anos e cai para 0% entre os entrevistados de 25 e 34 anos.

Perfil do gasto

Neste ano, o gasto médio do presente de Natal aumentou de R$ 86,59 em 2013 para R$ 122,40 em 2014. Por outro lado, o número médio de presentes comprados deve permanecer estável: 4,3 presentes por consumidor. De acordo com o estudo, a pessoa mais presenteada neste Natal deve ser a mãe, com 56% das intenções, seguida pelos filhos, com 53% das intenções, e pelo cônjuge, com 52%. As roupas (77%), os calçados (50%) e os perfumes (45%) devem ser os presentes mais comprados e também os mais desejados pelo consumidor. Veja as listas completas aqui.

Comprar de última hora é um mau negócio

Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, deixar as compras natalinas para a última hora não é uma boa opção para quem pretende gastar menos. “Se o consumidor deixa para comprar em cima da hora, acaba não tendo tempo para pesquisar preços e, consequentemente, desembolsa mais. Sem mencionar o risco dele não encontrar o produto desejado e ter que optar por um bem mais caro, comprometendo o orçamento”, explica Kawauti.

Os especialistas do SPC Brasil alertam para o que consumidor, movido pelo estresse e pela empolgação, não acabe fazendo compras sem necessidade. “Na pressa por garantir todos os itens da lista e para não deixar ninguém sem presente, o consumidor acaba dando menos importâncias aos detalhes e cede às compras impulsivas. Sem falar no estresse ocasionado pelas longas filas nos caixas e pela dificuldade para encontrar vaga nos estacionamentos”, adverte. O ideal, segundo a economista, é fazer uma lista de todos os presenteados e levar o dinheiro contado que se quer gastar. Dessa forma, não há perigo de exceder o valor previsto.

IPTU, IPVA e material escolar

A economista lembra que após os gastos com as festas de fim de ano, os consumidores são obrigados a arcar com o pagamento de compromissos sazonais de alguns tributos como IPVA, IPTU, seguro do carro e material escolar, o que juntos pressionam o orçamento doméstico.

“Uma dívida feita sem planejamento pode comprometer o orçamento de muitos meses. O efeito imediato das compras impulsivas e não planejadas realizadas no período natalino é a inadimplência, pois somente depois que as contas de início de ano chegarem é que o consumidor vai se dar conta de que o salário não será suficiente para cobrir a soma de todas as parcelas dos presentes comprados”, alerta a especialista.

Fonte: SPC Brasil

16 de dezembro

Empresas de alto crescimento são mais competitivas

As empresas de alto crescimento são responsáveis por 15% do valor adicionado bruto do país, entre as empresas com pelo menos dez assalariados. Foram R$ 252 bilhões como resultado final das atividades produtivas em 2012, do total de R$ 1,686 trilhão dos empreendimentos com mais de dez empregados.

Quanto à receita líquida, o estudo indica que o grupo de alto crescimento representou 14,5% do total, chegando a 30% no setor de construção. As empresas de alto crescimento tiveram ainda receita líquida média 98,2% maior do que as outras.

Os dados foram apresentados na sexta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no estudo Estatística de Empreendedorismo 2012, com a análise do triênio 2010-2011-2012. Empresa de alto crescimento é aquela que tem a partir de dez pessoas assalariadas e apresenta crescimento de pelo menos 20% no pessoal em um período de três anos de avaliação. Já o conceito de valor adicionado bruto corresponde ao resultado final de uma atividade produtiva e é obtido pela diferença entre o valor gerado e o consumo intermediário da empresa ou setor avaliado.

Em média, as empresas de alto crescimento geraram 89,4% a mais de valor adicionado bruto, em comparação com as outras empresas de dez ou mais trabalhadores assalariados. Do total de 35.206 empresas de alto crescimento identificadas em 2012, apenas 781 (2,5%) mantiveram o crescimento acima de 20% nos três anos seguidos.

O IBGE destaca que, do total de pessoas assalariadas em empresas de alto crescimento, 33,5% são mulheres e 66,5% são homens. A maior diferença entre a proporção de homens e mulheres está no setor de construção, em que apenas 8,4% dos trabalhadores são do sexo feminino. As mulheres são maioria no setor de saúde e serviços sociais, em que elas representam 74,5%.

Do total de trabalhadores, 90,7% não têm ensino superior completo. O número de pessoas com graduação caiu de 11,1% em 2010 para 9,3% em 2012. Enquanto, no setor de educação, 52,8% dos trabalhadores têm ensino superior, a proporção cai a 4,2% na agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.

Cerca de metade das empresas de alto crescimento tinha entre dez e 49 empregados nos três anos analisados, passando de 50,9% em 2010 para 51,7% em 2012. Empresas com 250 ou mais pessoas assalariadas passaram de 9,8% em 2010 para 9,4% em 2012. Quanto à idade das empresas, 80,7% têm menos de 20 anos. A análise identificou, em 2012, 4.671 empresas gazelas (com menos de três anos) entre as de alto crescimento – um aumento de 24,4% em relação a 2010.

No período analisado, as empresas de alto crescimento reduziram a participação de 7,9% do total de empresas no Brasil em 2010 para 7,6% em 2012. Por setor econômico, a construção tinha 11,7% das empresas com alto crescimento, os serviços, 8,3%, a indústria, 8% e o setor de comércio tinha 6% das empresas com alto crescimento em 2012.

Por atividade econômica, 26,4% das empresas de alto crescimento são do ramo do comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas; 22,6% das indústrias de transformação e 12,5% da construção. As menores participações são dos ramos saúde humana e serviços sociais (2%), informação e comunicação (2,4%) e atividades profissionais, científicas e técnicas (3,9%).

Quanto ao pessoal ocupado assalariado nas empresas de alto crescimento, as indústrias de transformação eram responsáveis por 21,5% dos postos de trabalho; atividades administrativas e serviços complementares por 19,6%; comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas por 17,5%; e a construção tinha 17,2% da mão de obra. Juntas, as empresas de alto crescimento foram responsáveis por 77,6% dos postos de trabalho gerados em 2012.

Os setores que pagam os salários médios mais altos são os de eletricidade e gás (8,2 salários mínimos), indústrias extrativas (7,4) e atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (5,9). As remunerações mais baixas estão nos setores de alojamento e alimentação, de atividades administrativas e serviços complementares e de artes, cultura, esporte e recreação, todos com média de 1,6 salário mínimo.

Fonte: Empreendedor