Arquivo mensais:setembro 2015

AA022185

Uma pós-venda perfeita resulta em uma nova venda

Para muitos vendedores, o processo de venda se encerra no momento em que o cliente efetua a compra, entretanto, os vendedores eficientes já começam a partir daí uma nova fase do processo, a pós-venda. É o que diz o especialista em vendas e consultor credenciado do Sebrae no Rio Grande do Norte, Jean Oliveira.

Apesar da qualidade do atendimento ser um aspecto que colabora para realização da venda, Jean Oliveira lembra que essa qualidade deve ser a regra e não exceção.

Para o especialista, fatores em conjunto, como a definição do público-alvo, localização, comunicação, técnicas de venda e excelente atendimento são os aspectos que trazem resultados eficientes ao processo de venda.

“Um excelente atendimento é diferencial competitivo onde deveria ser obrigação. Não é somente o atendimento que define a venda, alguém pode lhe atender bem, mas se o produto não for o que lhe interessa você provavelmente não irá comprar”, avalia.

Para o especialista, agir como se o processo fosse encerrado no momento em que o cliente efetua a compra é um erro. Já que entre as novas etapas da venda estão o conhecimento, comunicação, confiança e continuidade. Esse último fator diz respeito à qualidade do pós-venda, que pode reverter em novas vendas. “Uma pós-venda bem feita é uma pré-venda”, frisa Jean.

Conhecimento que faz crescer

Um aspecto indispensável para manter a qualidade do atendimento, de acordo com o consultor, é o conhecimento do produto e do cliente. Além disso, a gestão de vendas precisa definir metas reais e cobrar do vendedor mostrando como se faz.

“A informação é a moeda mais forte para os profissionais de venda e hoje ela é abundante e gratuita, existem muitas palestras, cursos, seminários e congressos à disposição, aproveite seu tempo na internet para estudar”, indica o especialista.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias RN

 

29 DE SETEMBRO

CDL Vitória realiza palestra gratuita sobre rotinas trabalhistas

A CDL Vitória vai promover palestra gratuita sobre rotinas trabalhistas, com o advogado Victor Queiroz Passos Costa. Será no dia 7 de outubro, a partir das 19 horas, no auditório da entidade.
O evento é especialmente dirigido a diretores e gerentes de RH, proprietários e diretores de empresa.

Os seguintes assuntos fazem parte do conteúdo programático: como controlar empregados “problema”; cuidados da jornada de trabalho; quais documentos são importantes e como criá-los; documentos de admissão e demissão; o que se pode e o que não se pode fazer na relação de trabalho.

Participe e veja como melhorar as regras de sua empresa. Informações: 3232-2052.

28 DE SETEMBRO

Desemprego em alta reduz confiança de varejistas para as vendas de Natal

A apenas três meses do Natal, a época do ano mais esperada pelos varejistas, os dados da Pesquisa Mensal de Emprego, divulgados na última semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), confirmam a preocupação da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

“Os números continuam muito ruins. O desemprego segue em alta pelo oitavo mês consecutivo e, infelizmente, este ano não estamos vislumbrando um Natal com boas vendas. O consumo está freado”, comenta Honório Pinheiro, presidente da CNDL.

Atingindo o patamar de 7,6%, depois de bater 7,5% em julho, a taxa de desemprego apresentada foi a maior para o mês desde 2009. Outro índice preocupante foi o rendimento médio real habitual, que apresentou queda de 3,5%, na comparação com agosto do ano passado.

“Os números refletem o cenário ruim que estamos vivenciando e os reflexos da inflação alta. Hoje temos menos trabalhadores empregados e ainda por cima com salários menores, em termos reais”, explica.

Para Pinheiro, os varejistas devem se preparar para um Natal fraco e atípico. “O Natal é a grande festa para o varejo. Estamos apenas três meses da data, época que muitas empresas já pensam nas contratações temporárias. Esse ano está bem diferente, acredito que além das vendas fracas, haverá uma grande queda em relação a essas novas vagas. Diante desse cenário, essa é a hora que o varejista precisa ser criativo e buscar diferentes alternativas de vendas”, alerta o presidente da CNDL.

Fonte: CNDL

25 DE SETEMBRO

Domingo é dia de Pedalar para Respirar

Neste domingo, dia 27, a CDL Jovem Vitória promove a 7ª edição do Pedalar para Respirar, evento que objetiva chamar a atenção da população para a necessidade da melhoria da qualidade do ar e da mobilidade urbana.

O passeio, que por meio da Lei Municipal 8.828 passou a integrar oficialmente o calendário de eventos da cidade, será realizado a partir das 9 horas. Os ciclistas seguirão da Praça do Papa, na Enseada do Suá, até o Parque Moscoso, no Centro, onde haverá aferição de pressão arterial e o sorteio de uma bicicleta.

“A proposta é incentivar as pessoas a, pelo menos um dia da semana, experimentar formas alternativas de mobilidade, descobrindo que é possível se locomover pela cidade sem usar o carro. Hoje, grande parte da população é muito dependente do automóvel, o que gera diversos problemas, como poluição atmosférica e sonora, sedentarismo, perda de tempo em congestionamentos e acidentes”, explicou o presidente da CDL Jovem Vitória, Bruno Mazzei.

Ele ressaltou que a infraestrutura da capital para o uso da bicicleta precisa melhorar. “Já houve importantes avanços nesse sentido, mas as ciclovias ainda são pontuais e, em determinados trechos, não estão interligadas. A pessoa que quer usar a bicicleta para ir e vir do trabalho, por exemplo, enfrenta muitas dificuldades. Por isso, nosso objetivo também é estimular o poder público a investir mais nesse tipo de transporte”, afirmou Mazzei.

Como participar

Para participar do 7º Pedalar para Respirar, basta doar dois quilos de alimentos não perecíveis ou um kit escolar (caderno, lápis e borracha) na rede de farmácias Mônica ou na loja Armazém da Bicicleta, na Avenida Leitão da Silva. A pessoa receberá um tíquete para retirar a camisa do pedalaço. Os kits serão entregues na Praça do Papa, a partir das 8 horas.

Na concentração, haverá distribuição de água e os participantes farão alongamento auxiliados por um professor de Educação Física.

Para garantir a segurança dos ciclistas, batedores da Guarda Municipal vão organizar o trânsito durante todo o trajeto, e também haverá ambulância e caminhão de apoio.

Além disso, membros da Federação Capixaba de Ciclismo estarão presentes no evento, formando um cordão de isolamento para manter a unidade do grupo.

Participe!

7º Pedalar para Respirar
Data: neste domingo (27)
Horário: a partir das 9 horas
Local: a concentração será na Praça do Papa, a partir das 8 horas
Chegada: Parque Moscoso, Centro
Percurso: os ciclistas sairão da R. Henrique Christovam Miguel, na Enseada do Suá, e seguirão à beira-mar até a Av. República (entre a Av. Cleto Nunes e a R. Padre José de Anchieta), no Centro
Como participar: basta doar dois quilos de alimentos não perecíveis ou um kit escolar (caderno, lápis e borracha) na rede de farmácias Mônica – lojas de Jardim da Penha e Jucutuquara, em Vitória; Centro, em Vila Velha; Laranjeiras, na Serra; e Campo Grande, em Cariacica – ou na loja Armazém da Bicicleta, na Avenida Leitão da Silva. Os participantes vão ganhar a camisa do passeio
Realização: CDL Jovem Vitória

23 DE SETEMBRO

Número de inadimplentes cresce 7,73% no Estado

O número de inadimplentes do Estado cresceu 7,73% em agosto de 2015, em relação ao mesmo período do ano passado. O dado ficou acima da média nacional, que foi de 4,86%.

O Espírito Santo foi o estado com o 26° maior aumento anual do número de devedores. Já a quantidade de dívidas em atraso de moradores do Espírito Santo teve uma alta de 8,69% também na comparação anual. A média nacional registrou crescimento de 6,28%. O Espírito Santo foi o estado com o 24° maior aumento anual do número de dívidas em atraso.

Em agosto de 2015, cada consumidor inadimplente no Espírito Santo tinha em média 2,236 dívidas em atraso. O número ficou acima da média nacional registrada no mês (2,128 dívidas).

“A inflação muito acima do teto da meta, aliada ao desemprego crescente, tem afetado a capacidade de pagamento das famílias”, afirmou o presidente da CDL Vitória, Carlo Fornazier. A entidade informou que, em agosto de 2015, 558,7 mil consumidores estavam com o nome no SPC no Estado. Em todo o país, o SPC Brasil e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) estima que, no mês passado, 57,3 milhões de consumidores estavam listados em cadastros de devedores inadimplentes por conta de pendências com atraso de pagamento.

O número representa cerca de 39% da população brasileira adulta, entre 18 e 95 anos. Ao longo do ano, 2,7 milhões de nomes foram incluídos nos cadastros de inadimplentes.

Segundo o gerente operacional da CDL Vitória, Geraldo Calenzani, para evitar dívidas, é importante que as pessoas fiquem atentas ao planejamento orçamentário familiar.

“É fundamental que o consumidor saiba exatamente a quantia que gasta e a que recebe mensalmente, para que possa se planejar. Para aqueles que já estão endividados, o melhor caminho é cortar gastos e procurar os credores para negociar o que estão devendo”, recomendou.

Contas de água e luz

De acordo com dados do SPC Brasil e da CNDL, a análise por setor credor mostrou, pelo quarto mês consecutivo, o segmento de água e luz como principal destaque em relação ao crescimento anual da inadimplência: as dívidas em atraso nesse setor cresceram 13,89%, bem acima da média geral de 6,28%.

Em segundo lugar, aparecem as dívidas de bancos, que avançaram 10,28% e têm participação de 48,61% do total de pendências no Brasil – no Sudeste sua representatividade é ainda mais expressiva, de 57,23%.

21 DE SETEMBRO

Quatro em cada dez internautas vivem fora do padrão de vida

Gastar mais do que o orçamento permite é um erro comum na vida financeira de muitos brasileiros, mas quando isso acontece com muita frequência, o problema pode ser mais sério do que se pensa. Um estudo do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que quatro em cada dez (40%) internautas vivem fora do padrão de vida que seria adequado à sua realidade financeira.

O levantamento identificou o perfil da população que vive além dos padrões permitidos por sua renda, investigando os motivos e hábitos que levam esse comportamento a extrapolar o orçamento mensal.

Cerca de 60% dos entrevistados que vivem fora do padrão de vida ideal para sua renda são mulheres; 49% são casados ou vivem em união estável; 33% têm entre 25 e 34 anos, e 46% pertencem à classe C – enquanto 16% pertencem à classe A.

Dentre os entrevistados que vivem fora de seu padrão de vida, mais da metade (54%) se considera insatisfeita com o padrão atual, embora 57% encare a situação como melhor do que há cinco anos.

Quando analisam as perspectivas para o futuro, 84% acreditam que seus padrões aumentarão de nível em cinco anos. Segundo o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, esse otimismo é motivado pela disposição de investir em si mesmo: “A pesquisa mostra que 52% dos entrevistados garantem estarem se profissionalizando e trabalhando. No médio prazo, esperam colher os frutos com cargos melhores e boas perspectivas de crescimento no emprego”, diz o presidente.

Para elaboração do estudo foram considerados os internautas de todo o Brasil e pertencentes às classes A, B e C, com renda maior que dois salários mínimos.

“A definição do conceito ‘fora do padrão de vida’ leva em conta dois critérios. O primeiro é ter fechado as contas do mês nos últimos seis meses sem sobra de dinheiro, ou não ter conseguido fechar as contas do mês, ficando no vermelho”, explica Pellizzaro.

“No segundo critério, para aqueles que ficaram no vermelho, o motivo de não ter conseguido fechar as contas do mês excluiu fatores como perda de emprego, problemas de saúde ou falecimento na família.”

Padrão de vida

Ainda que boa parte dos entrevistados acredite no próprio potencial para mudar a situação, o cenário econômico do Brasil não é favorável: 92% dos entrevistados acreditam que está mais difícil elevar o padrão de vida atualmente, principalmente por que tudo está mais caro.

Outros motivos citados para justificar essa dificuldade são a queda na renda (36%) – os entrevistados alegam que o salário não está acompanhando a inflação e o aumento dos preços; 28% citam os filhos e outras responsabilidades das quais não podem abrir mão no momento, e 23% mencionam a dificuldade para encontrar emprego estável (23%).

“Boa parte das causas citadas pelos entrevistados podem ser atribuídas à crise econômica que estamos passando”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. “A inflação cada vez mais alta está aumentando os preços dos produtos. Até mesmo as contas básicas, como de água e luz, são afetadas.”

Fonte: CNDL

 

18 DE SETEMBRO

Crise financeira tira prioridade de jovens em busca por primeiro emprego

As tradicionais vagas temporárias criadas no comércio em todo o Estado no final do ano devem priorizar profissionais que já possuem experiência no mercado de trabalho.

Antes o preenchimento dessas vagas era feito principalmente por jovens em busca do primeiro emprego. Segundo o diretor da CDL Vitória, Marcelo Salles, a mudança no perfil dos contratados deve acontecer em razão da conjuntura econômica do país.

Desde o início do ano, o comércio foi o setor que mais cortou vagas de emprego com carteira assinada no Espírito Santo. Por esse motivo, Salles acredita que o número de pessoas com experiência à procura de recolocação no mercado também tenha crescido, o que deve dificultar o acesso daqueles que buscam o primeiro emprego no comércio varejista.

“As contratações eram feitas em outubro já com treinamento para que em novembro e dezembro essas pessoas estivessem plenamente adaptadas ao segmento”, disse à Rádio CBN Vitória.

Sem treinamento

Com as lojas vazias, sem clientes, os comerciantes não pretendem investir tanto em treinamento de novos recrutados. Além de demandar menos vendedores no período, o setor deve também retardar o período de admissões, que só deve ser acentuado no início de novembro.

“Esse tipo de contratação acontecia com mais intensidade em outubro, este ano não. Os empresários estão trabalhando para manter os funcionários que já estão na empresa”, disse Marcelo Salles.

De acordo com o diretor, quem quer uma chance terá de se esforçar mais e concorrer com mais pessoas. Já quem acredita na possibilidade de fazer o trabalho temporário tornar-se definitivo precisa mostrar muito empenho e trabalhar bastante.

Fonte: Rádio CBN Vitória

17 DE SETEMBRO

CDLs apoiam Movimento Compre do Pequeno Negócio

As Câmaras de Dirigentes Lojistas capixabas, por meio de sua Federação (FCDL/ES), apoiam a iniciativa inédita lançada em todo o país para estimular a sociedade a consumir produtos e serviços fornecidos por micro e pequenas empresas.

Intitulado Compre do Pequeno Negócio, o movimento visa sensibilizar os consumidores sobre a importância das micro e pequenas empresas (MPEs) para o equilíbrio econômico e social do Brasil, além de ajudar a minimizar os impactos da crise nos empreendimentos de menor porte.

Os pequenos negócios no país superam atualmente a marca de 10 milhões de organizações, o que corresponde a mais de 95% do total das empresas brasileiras. Eles respondem também por 27% do PIB e por 52% dos empregos com carteira assinada – mais de 17 milhões de vagas.

No Espírito Santo, os números impressionam: os pequenos negócios representam 99% do total de empresas, que respondem por 28% do PIB no Estado e por 58% dos empregos formais. Além disso, no ano de 2013, os pequenos negócios disponibilizaram 375 mil vagas com carteira assinada.

Liderada pelo Sebrae e por instituições parceiras, a ação, que vem sendo chamada simplesmente de “Compre do Pequeno”, contará com uma semana de capacitações em todo o Brasil, de 21 a 26 de setembro, para preparar os empresários especialmente para o 5 de outubro, ponto máximo de todas as iniciativas do movimento. Essa data foi escolhida por ser o marco da instituição do Estatuto da Micro e Pequena Empresa no País.

Estado terá programação especial

No Espírito Santo, a semana de capacitações contará com mais de 2 mil orientações técnicas voltadas ao atendimento dos empreendedores, entre palestras, oficinas, seminários e feiras. O empresário que deseja participar do movimento deve acessar o hotsite www.compredopequeno.com.br.

Ao se cadastrar, ele tem acesso a peças promocionais da ação, como adesivos, estampa para balão e bandeirinhas, além de arte para campanha digital, que pode ser usada no Facebook, no Instagram e no Twitter, por exemplo.

 

16 DE SETEMBRO

Número de inadimplentes cresce 7,73% no Estado

O número de inadimplentes do Estado cresceu 7,73% em agosto de 2015, em relação ao mesmo período do ano passado. O dado ficou acima da média nacional, que foi de 4,86%. O Espírito Santo foi o estado com o 26° maior aumento anual do número de devedores.

Já a quantidade de dívidas em atraso de moradores do Espírito Santo teve uma alta de 8,69%, também na comparação anual. A média nacional registrou crescimento de 6,28%. O Espírito Santo foi o estado com o 24° maior aumento anual do número de dívidas em atraso.

Em agosto de 2015, cada consumidor inadimplente no Espírito Santo tinha em média 2,236 dívidas em atraso. O número ficou acima da média nacional registrada no mês (2,128 dívidas).
“A inflação muito acima do teto da meta, aliada ao desemprego crescente, tem afetado a capacidade de pagamento das famílias”, afirmou o presidente da CDL Vitória, Carlo Fornazier.

A entidade informou que, em agosto de 2015, 558,7 mil consumidores estavam com o nome no SPC no Estado. Em todo o país, o SPC Brasil e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) estima que, no mês passado, 57,3 milhões de consumidores estavam listados em cadastros de devedores inadimplentes por conta de pendências com atraso de pagamento.

O número representa cerca de 39% da população brasileira adulta, entre 18 e 95 anos. Ao longo do ano, 2,7 milhões de nomes foram incluídos nos cadastros de inadimplentes.
Segundo o gerente operacional da CDL Vitória, Geraldo Calenzani, para evitar dívidas, é importante que as pessoas fiquem atentas ao planejamento orçamentário familiar.

“É fundamental que o consumidor saiba exatamente a quantia que gasta e a que recebe mensalmente, para que possa se planejar. Para aqueles que já estão endividados, o melhor caminho é cortar gastos e procurar os credores para negociar o que estão devendo”, recomendou.

Contas de água e luz

De acordo com dados do SPC Brasil e da CNDL, a análise por setor credor mostrou, pelo quarto mês consecutivo, o segmento de água e luz como principal destaque em relação ao crescimento anual da inadimplência: as dívidas em atraso nesse setor cresceram 13,89%, bem acima da média geral de 6,28%.

Em segundo lugar, aparecem as dívidas de bancos, que avançaram 10,28% e têm participação de 48,61% do total de pendências no Brasil – no Sudeste sua representatividade é ainda mais expressiva, de 57,23%.

15 DE SETEMBRO

Inadimplência cresce entre idosos

Um levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) revela que a inadimplência cresceu no Brasil em 2015. Atualmente, cerca de 54 milhões de brasileiros estão endividados. Entre os devedores, a faixa etária correspondente aos idosos foi a que mais cresceu: cerca de 12,48%.

Segundo o estudo do SPC, as pessoas com mais de 60 anos têm adquirido dívidas principalmente em decorrência de empréstimos consignados.

O estudo nacional estima que a tomada de um empréstimo consignado acaba gerando outras dívidas para os idosos. Isso acontece porque é comum que eles tomem dinheiro emprestado de instituições financeiras para ajudar outras pessoas que, muitas vezes, não pagam a dívida.

Assim, o idoso faz mais empréstimos para conseguir honrar suas contas, mas acaba endividado.

Evitar ajuda a terceiros

Para o gerente operacional da CDL de Vitória, Geraldo Calenzani, mesmo com a facilidade com a qual os idosos conseguem pegar empréstimos consignados, é preciso evitá-los quando se trata de ajudar terceiros.

“É necessário evitar, ao máximo, pegar empréstimos para outras pessoas. Pegar só em casos de muita necessidade. Porque, mesmo que essas pessoas sejam muito próximas, quando elas ficam ‘apertadas’, elas não conseguem pagar a dívida com o idoso e isso acaba virando uma ‘bola de neve’”, ressaltou Geraldo.

De acordo com o gerente da CDL, também é importante que as pessoas fiquem atentas ao planejamento orçamentário familiar. Saber exatamente a quantidade de dinheiro que gasta e que recebe mensalmente pode evitar a aquisição de dívidas.

Para aqueles que já estão inadimplentes, Geraldo Calenzani recomenda, além de um planejamento orçamentário, a negociação das dívidas.

Termos de contrato

Se o idoso decidir por tomar dinheiro emprestado, é preciso ter muita atenção aos termos do acordo firmado com as instituições financeiras a fim de evitar o endividamento. Essa orientação é da advogada do Centro de Apoio ao Aposentado e Trabalhador do Espírito Santo (Cenaat), Marceli Silva.

“Os termos de um contrato não são termos muito claros. E, se a pessoa tem um baixo grau de instrução, às vezes, ela não consegue entender tudo que está no contrato. Também há casos em que as pessoas assinam mais de uma via ou não leem o que estão assinando. Aí, elas acabam se ‘enrolando’”, destaca Marceli.

Fonte: CBN Vitória