Arquivo mensais:maio 2018

Copa do mundo

Para um terço dos empresários, Copa do Mundo deve impulsionar vendas do comércio e serviços, apontam SPC Brasil e CNDL.

Entre os que projetam crescimento nas vendas da própria empresa, a expectativa é de aumento de 27% no faturamento. Cerca de 20% já se preparam para atender a alta da demanda e apostam, principalmente, em promoções para atrair clientes

A um mês do início da Copa do Mundo, que este ano será na Rússia, a expectativa é de que o evento esportivo movimente a economia brasileira, mesmo à distância. Um estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revela que três em cada dez (33%) micro e pequenos empresários dos ramos do comércio e serviços estimam que as vendas dos setores como um todo aumentem no período dos jogos. Outros 19% enxergam uma queda no volume de vendas, enquanto 47% acham que o torneio não terá impacto no resultado dos segmentos. Entre os que projetam crescimento nas vendas da própria empresa (20%), a estimativa é de que o volume médio de vendas seja 27% superior ao mês anterior do mundial.

Na percepção da maioria dos empresários entrevistados, esse otimismo refere-se ao aumento do faturamento, principalmente, em setores que lucram com o consumo sazonal de produtos nesta época e estão diretamente ligados ao evento, como souvenirs (80%), comércio informal (72%), bares e restaurantes (68%), supermercados (66%), comércio eletrônico (57%) e transporte (51%). “A Copa do Mundo sempre injeta ânimo na economia e deve aquecer, sobretudo, os setores do comércio e serviços, que encontram uma oportunidade gerada pelo clima de euforia das torcidas com as comemorações após as partidas”, destaca o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Outro dado curioso mostra que para 29% dos entrevistados o aumento das vendas do próprio negócio com a Copa depende do desempenho da seleção brasileira nos gramados, sobretudo se o time chegar até a final (21%) – esse percentual é ainda maior (25%) entre os comerciantes.

Empresários apostam em promoções para atrair o consumidor

O estudo também revela que dois em cada dez empresários entrevistados (20%) afirmam já estar se preparando para atender ao aumento da demanda durante os jogos. As promoções são a grande aposta para atrair o consumidor (42%). Para 20%, há intenção de ampliar seus estoques e 10% contratar mais funcionários. Além disso, estão previstas ações como decoração com bandeiras e cores do Brasil (37%), divulgação do estabelecimento (25%) e ampliação do mix de produtos ofertados (22%).

Por outro lado, a maioria dos empresários entrevistados (80%) sinalizou que não pretende fazer algum tipo de investimento especial. Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, essa decisão não significa falta de interesse por parte do lojista em lucrar com o evento. “São estabelecimentos que não têm relação direta com o consumo da Copa ou, até mesmo, já contam com uma estrutura adequada para suportar a demanda extra”, pondera.

Perguntados sobre o tempo que estão levando para se preparar, 73% reconhecem que têm deixado para mais perto do evento — há menos de três meses começaram a pensar no que será feito. Já outros 21% vêm se preparando em um período de quatro a seis meses do início da Copa do Mundo e uma minoria (5%) investe no próprio negócio com antecedência — de seis a 12 meses.

Entre os que estão se preparando para a Copa do Mundo, 50% disseram que utilizarão capital da própria empresa e 24% recursos pessoais. “O alto percentual de empresários que utiliza dinheiro do próprio bolso ou da empresa para investir no estabelecimento pode revelar o receio em assumir dívidas frente a um cenário econômico promissor, mais ainda sob os efeitos de recessão”, comenta Marcela Kawauti.

Mais de sete em cada dez entrevistados (74%) afirmam que as melhorias implementadas no estabelecimento serão mantidas, mesmo após o término dos jogos da Copa, indicando que os investimentos, em sua maioria, serão permanentes. Questionados sobre os critérios estabelecidos para realizar as adequações na empresa para a Copa do Mundo, um quarto (25%) afirma que usou um pouco da intuição sobre o que as vendas no período dos jogos podem gerar e outros 25% mencionaram a experiência positiva que tiveram na Copa passada.

73% das lojas não pretendem alterar horário de atendimento ao público

Apesar da diferença de fuso-horário, a maioria das partidas será realizada em horário comercial. Por esta razão, o estudo também buscou identificar possíveis alterações na rotina e no funcionamento das empresas durante a realização dos jogos. Com relação ao horário de atendimento, 73% das empresas afirmam que manterão a mesma rotina praticada atualmente. Cerca de 15% disseram que o horário será reduzido e 7% afirmam que adotarão horário estendido.

De olho no potencial de vendas da Copa do Mundo, 12% prevê um aumento na variedade de produtos. Enquanto para 82%, o mix permanecerá inalterado e 3% planeja uma redução. Já o estoque de produtos será igual para 78%, de acordo com o levantamento.

Quanto ao preço a ser cobrado por produtos e mercadorias, a maioria (88%) garantiu que manterá os preços atuais. Apenas 5% dos entrevistados afirmam que os preços durante a Copa estarão mais baratos e 3% mais caros.

Quase 30% das empresas vão liberar os funcionários durante as partidas dos jogos do Brasil

Um ponto que sempre chama a atenção é como será o esquema nas empresas quando o Brasil estiver em campo. Questionadas sobre a política que será adotada, quase três em cada dez empresas ouvidas (28%) disse que vai dispensar seus colaboradores para assistirem às partidas. Na contramão, 24% afirmam que os funcionários devem trabalhar normalmente durante as partidas, enquanto 17% pretendem montar um espaço especial para que os colaboradores assistam aos jogos dentro da organização ― sobretudo as do setor de serviços (20%). “Para não terem de fechar as portas durante os jogos, muitas empresas instalam televisões em pontos centrais. O futebol é uma paixão nacional e desperta o sentimento de patriotismo”, destaca a economista Marcela Kawauti.

Entre as empresas que pretendem dispensar os funcionários, o levantamento constatou que cerca de 84% não irão descontar as horas não trabalhadas de seus colaboradores. Só uma em cada dez (11%) afirma ter a intenção de fazer essas deduções ― especialmente os prestadores de serviço (17%) ―, sendo que 10% fará por meio de banco de horas. No caso em que os funcionários puderem assistir aos jogos no próprio local de trabalho, a pesquisa revela que 93% das empresas não descontarão as horas na folha.

Fonte: CNDL

IMPOSTO

Lojistas vendem 5 mil produtos Sem Impostos.

Hoje (dia 24), lojistas da Grande Vitória venderão produtos sem cobrar os impostos. É a 10ª edição do Dia da Liberdade de Impostos (DLI), ação comandada pela CDL Jovem Vitória para chamar a atenção sobre a alta carga tributária brasileira, especialmente se comparada à qualidade dos serviços públicos oferecidos.

Comerciantes dos shoppings Vitória e Vila Velha e a rede de supermercados Extrabom venderão produtos sem o valor do imposto embutido – os tributos serão pagos pelas lojas patrocinadoras, mas não repassados aos consumidores. Cerca de 5 mil itens serão colocados à venda com desconto referente à isenção do imposto (150 tipos diferentes de produtos).

Durante a campanha, também haverá lojas-conceito nos shoppings para a demonstração de preços de produtos com e sem imposto.

O presidente da CDL Jovem Vitória, Gustavo Oliveira, comemora a parceria com os estabelecimentos, ressaltando a diversidade de produtos com desconto. “São diversos segmentos do varejo aderindo à campanha, e não vão faltar opções de compra para os consumidores. O percentual de desconto varia conforme a quantidade de impostos que incidem sobre cada item”, explicou.

O Dia da Liberdade de Impostos terá a adesão de 15 estados e do Distrito Federal.

Quase R$ 1 trilhão em impostos

A carga tributária brasileira está entre as mais elevadas do mundo. Ela corresponde, em média, a 41,8% do rendimento bruto de cada cidadão. Até hoje (24), já foram arrecadados cerca de R$ 938 bilhões em impostos no País. No Espírito Santo, esse número chega a R$ 14,4 bilhões.

No ranking dos países em que os tributos trazem mais bem-estar à sociedade, o Brasil ocupa apenas a 30ª colocação, ou seja, é imposto demais para retorno de menos.

Confira as lojas participantes do DLI

Shopping Vitória

DiFerolla, Bagaggio, Ecodrive, Risotto Mix, Mon Petit Ami, Jogê, Limits, Croasonho, Sergio’s, Jheny, Maybelline, Origens, Wcom Informática, First Class, Uncle K, Scala, Bebedouros & Cia, Mundo Tech, Rabbit, Carmen Steffens, Reserva, Bibi Calçados, Fricote, Santa Lolla e Torcedor Esporte Clube.

Shopping Vila Velha

Griletto, Hipnose, Casa Brasil, Sergio’s, SNC (Sports Nutrition Center), Cacau Show, California Coffee, Maybelline, Lupo, Grão Espresso, Mr. Black Café, Jheny, Beauty, Bebedouros & Cia, Santa Lolla, Rabbit, Mundo do iPhone, AnaCapri e Polo Wear.

Extrabom Supermercados: a ação será realizada nas 23 lojas da rede espalhadas pelo Estado.

Loja Sonetto Móveis e Colchões: a ação será realizada na loja localizada na praça do bairro Goiabeiras.

Lista de produtos que serão vendidos sem impostos:

Loja Sonetto Móveis e Colchões – Praça de Goiabeiras

Colchão Queen Royal Saúde Plus D33: R$ 1.890,00 por R$  1.150,00 à vista

Colchão Queen Premium American Flex: R$ 2.190,00 por R$ 1.335,00 à vista

Colchão Queen Speciale Visco: R$ 3.190,00 por R$ 1.950,00 à vista

Colchão Queen Sleep Vaillant: R$ 1.390,00 por R$ 850,00 à vista

Colchão Queen New Dream Lux Puma: R$ 1.590,00 por R$ 970,00 à vista

Colchão Queen Romance American Flex: R$ 2.790,00 por R$ 1.700,00 à vista

Shopping Vitória

Bebedouros & Cia

Purificador de água Soft Slim Cereja: de R$ 869,00 por R$ 660,00 à vista

DiFerolla

Bolsa de couro: de R$ 114,00 por R$ 70,00

Chapéu de palha: de R$ 139,00 por R$ 99,00

Bracelete de acrílico: de R$ 75,00 por R$ 50,00

Colar: de R$ 50,00 por R$ 35,00

Kimono: de R$ 169,00 por R$ 89,00

Canga: de R$ 189,00 por R$ 130,00

Reserva

T-shirt Reserva com bolso: de R$ 219,00 por R$ 135,00

T-shirt Reserva Floral: de R$ 269,00 por R$ 166,00

T-shirt Reserva Ice: de R$ 169,00 por R$ 104,00

T-shirt Reserva Degradê: de R$ 269,00 por R$ 166,00

T-shirt Reserva Motel: de R$ 169,00 por R$ 104,00

Bermuda Reserva Double Face: de R$ 489,00 por R$ 303,00

T-shirt Reserva Vento Inverno: de R$ 169,00 por R$ 104,00

T-shirt ML Reserva Al Mare: de R$ 239,00 por R$ 148,00

Polo Reserva Poá: de R$ 269,00 por R$ 166,00

Camisa Reserva Degradê Visco: de R$ 429,00 por R$ 265,00

Torcedor Esporte Clube

Camisa polo de viagem Botafogo: de R$ 179,90 por R$ 104,00

Camisa polo Flamengo: de R$ 169,90 por R$ 99,00

Scala

Calcinha tanga: de R$ 34,90 por R$ 22,90

Camiseta microfibra: de R$ 69,90 por R$ 45,90

Blusa fio pelo manga longa: de R$ 219,90 por R$ 144,90

 

Uncle K

Dourados sapato em couro: de R$ 239,00 por R$ 152,00

Bolsa em nylon: de R$ 269,00 por R$ 162,00

Mochila em nylon: de R$ 299,00 por R$ 179,00

Maybelline

Expert Wear sombra em lápis: de R$ 30,70 por R$ 21,49

Água micelar 100 ml: de R$ 20,30 por R$ 12,18

Wcom

Roteador Mercusys Wireless 300MBPS MW305R: de R$ 89,90 por R$ 49,90

Estabilizador 330VA Energylux: de R$ 49,90 por R$ 29,90

Bibi Calçados

Tênis de LED com glittler: de R$ 249,00 por R$ 172,00

Sandália de LED: de R$ 219,90 por R$ 151,00

Tênis de LED menino: de R$ 249,90 por R$ 172,00

Sandália de LED: de R$ 219,00 por R$ 151,00

Fricote

Almofada: de R$ 69,00 por R$ 45,54

Mochila: de R$ 218,00 por R$ 130,80

Jheny

Bolsa feminina Veryrio: de R$ 149,90 por R$ 89,94

Malas grandes (branca): de R$ 379,90 por R$ 227,94

Mala grande prata: de R$ 399,90 por R$ 239,94

Mala grande cinza: de R$ 349,90 por R$ 209,94

Ecodrive

Limpeza do carro (interna e externa) + limpeza de bancos (estofados ou hidratação couro): de R$ 270,00 por R$ 189,00

Limits

Camisa linho Búzios: de R$ 259,90 por R$ 155,94

Bermuda print coqueiro: de R$ 219,00 por R$ 149,40

Tênis redentor: de R$ 279,00 por R$167,40

Croasonho

Combo Barato do dia + 1 suco 300 ml laranja: de R$ 20,65 por R$ 13,90

Combo Doce (croissant P) chocolate + 1 café M: de R$ 20,00 por R$ 13,50

First Class

Travesseiro de microfibra: de R$ 29,99 por R$ 22,19

Roupão microfibra: de R$ 59,99 por R$ 44,39

Manta Disney: de R$ 49,99 por R$ 36,99

Santa Lolla

Scarpin bico fino, salto médio, em verniz vermelho: de R$ 169,90 por R$ 107,37

Mochila em neoprene com detalhes em tachas: de R$ 349,90 por R$ 220,43

Carmen Steffens

Bolsa verde musgo média: de R$ 999,90 por R$ 619,93

Bolsa verde militar: de R$ 1.399,90 por R$ 867,93

Sapato mule com tachas: de R$ 399,90 por R$ 247,93

Mocassim com aplicação: de R$ 349,90 por R$ 216,93

Tamanco com cristais off: de R$ 399,90 por R$ 247,93

Tamanco com cristais preto: de R$ 399,90 por R$ 247,93

Jogê

Camisola mescla: de R$ 199,00 por R$ 130,00

Shortdool ST Barth preto: de R$ 239,00 por R$ 156,13

 

Shopping Vila Velha

Bebedouros & Cia

Purificador de água Soft Baby Cereja: de R$ 299 por R$ 229

Santa Lolla

Bota meia pata, salto bloco em velur: de R$ 229,90 por R$ 144,83

Scarpin bico boneca com tira no tornozelo, em verniz vermelho: de R$ 169,90 por R$ 107,37

Casa Brasil

Réchaud redondo porcelana toyland: de R$ 239,90 por R$ 134,30

Fruteira inox desmontável mak-inox: de R$ 479,90 por R$ 268,70

Organizador inox Domama: de R$ 465,00 por R$ 260,40

Panela pressão 4,5l antiaderente Nigro: de R$ 284,00 por R$ 159,00

Panela pressão polida 4,5l Nigro: de R$ 197,00 por R$ 110,30

Pipoqueira MTA: de R$ 129,90 por R$ 72,70

Moedor café Cadence: de R$ 148,00 por R$ 82,88

Caixa térmica 12l Termolar: de R$ 79,90 por R$ 44,70

Jogo 6 taças sobremesa cristal vega Full Fit: de R$ 139,90 por R$ 78,30

Jogo 6 taças vinho cristal gastro 650 ml Full Fit: de R$ 139,90 por R$ 78,30

Prato bolo sem tampa Bari Ruvolo: de R$ 63,00 por R$ 35,20

Prato bolo com tampa Bari Ruvolo: de R$ 139,90 por R$ 78,30

Jogo risoto 2 pçs Monaco Tramontina: de R$ 390,00 por R$ 218,00

Souplast vidro furta-cor Vacheron: de R$ 83,90 por R$ 46,90

Vaso vidro 19 cm Craw: de R$ 49,90 por R$ 27,90

Potes acrílicos 2300 ml Fartex: de R$ 59,90 por R$ 33,50

Jogo 30 taças Roberta cristal bohemia Gremax: de R$ 449,90 por R$ 251,90

 

Rabbit

Camisete feminina decote V: de R$ 110 por R$ 55

Camisete feminina ml algodão egípcio: de R$ 149 por R$ 74,95

 

Griletto

Combo (frango à milanesa com arroz, feijão e fritas + 1 suco de 300 ml): de R$ 24,80 por R$ 15,90

Combo estrogonofe de frango + 1 suco de 300 ml: de R$ 21,80 por R$ 14,20

 

Polo Wear

Camisa social feminina: de R$ 119,99 por R$ 59,99

Shorts feminino: de R$ 99,99 por R$ 49,99

Camiseta estampada masculina: de R$ 59,99 por R$ 39,99

Bermuda jeans masculina: de R$ 99,99 por R$ 59,99

Blusinhas femininas: de R$ 59,99 por R$ 29,99

Polo básica de algodão masculina: de R$ 59,99 por R$ 39,99

 

Maybelline

Sombra em lápis: de R$ 30,70 por R$ 21,49

Água micelar 100 ml: de R$ 20,30 por R$ 12,18

 

Jheny

Bolsa feminina bege Veryrio: de R$ 149,90 por R$ 89,94

Mala Santino ABS grande: de R$ 579,90 por R$ 347,94

 

Lupo

Canelito para ginástica: R$ 45,99 por R$ 29,89

Meia calça lycra Loba News: de R$ 16,99 por R$ 10,99

Meia calça opaca: de R$ 24,99 por R$ 16,20

Meia masculina social bege: de R$ 15,99 por R$ 10,39

 

SNC

BCAA Athletica 120 caps: de R$ 80 por R$ 50

Creatina Athletica 100g: de R$ 50 por R$ 30

Whey Supreme 3VS: de R$ 25,00 por R$ 15,00

Galão 2l Athletica: de R$ 60,00 por R$ 40,00

Galão 1,9l 4Fit: de R$ 55,00 por R$ 35,00

 

Hipnose

Bolsa Chenson grenat: de R$ 202,90 por R$ 121,70

Brinco strass: de R$ 26,99 por R$ 16,19

 

Mr. Black Café

Combo (café coado + biscoito queijo + pedaço de torta): de R$ 22,50 por R$ 15,75

Combo (suco de laranja + salgado assado + pedaço de torta): de R$ 27 por R$ 18,90

 

Grão Espresso

Café espresso pequeno: de R$ 4,50 por R$ 2,93

Café espresso médio: de R$ 5,50 por R$ 3,58

Café espresso com leite pequeno: de R$ 5,00 por R$ 3,25

Café espresso com leite médio: de R$ 7,00 por R$ 4,55

Cappuccino tradicional pequeno: de R$ 6,50 por R$ 4,23

Cappuccino tradicional médio: de R$ 9,00 por R$ 5,85

 

AnaCapri

Sapatilha preta bico redondo de verniz: de R$ 139,90 por R$ 90

Sapatilha vermelha bico redondo de verniz: de R$ 139,90 por R$ 90

Sapatilha rosa bico redondo de verniz: de R$ 139,90 por R$ 90

 

Mundo do iPhone

Capa anti-impacto iPhone 5/S: de R$ 100,00 por R$ 65,00

Capa anti-impacto iPhone 6/S: de R$ 110,00 por R$ 72,00

Capa anti-impacto iPhone 7/8: de R$ 130,00 por R$ 85,00

Capa anti-impacto iPhone 7P/8P: de R$ 140,00 por R$ 92,00

Capa anti-impacto iPhone X: de R$ 150,00 por R$ 99,00

Película Diamond iPhone 5/S: de R$ 100,00 por R$ 65,00

Película Diamond iPhone 6/S: de R$ 120,00 por R$ 79,00

Película Diamond iPhone 7/8: de R$ 150,00 por R$ 99,00

Película Diamond iPhone 7P/8P: de R$ 150,00 por R$ 99,00

Película Diamond iPhone X: de R$ 150,00 por R$ 99,00

 

palestra atendimento

PALESTRA: ATENDIMENTO – A ARTE DE ENCANTAR O CLIENTE

PALESTRA:  ATENDIMENTO – A ARTE DE ENCANTAR O CLIENTE

Todo tipo de negócio deve se preocupar com o atendimento. Algumas pessoas ligam erroneamente o atendimento ao comércio, porém todo administrador está ligado de alguma forma ao atendimento. Em um escritório o responsável por atender é a recepcionista, o gerente, o consultor, até mesmo o proprietário pode ser o responsável por atender. Ou seja, qualquer pessoa que tenha contato direto com o cliente ou fornecedores deve ter noções de como realizar um bom atendimento.

Em um mercado onde a concorrência é acirrada qualquer erro com seu cliente pode levá-lo a procurar um novo fornecedor.

O atendimento tornou-se um diferencial competitivo em todas as organizações. Atender com excelência passou a ser o principal objetivo das empresas que buscam ascensão e daquelas que são estáveis no mercado, mas estão cientes do aumento da concorrência.

Pensando nisso, a Fundação CDL Vitória realizará uma palestra foca em atendimento e como torna-lo em diferencial para os seus clientes.

DATA: 21 de Maio (segunda-feira)

HORÁRIO: 19 às 21hs

INVESTIMENTO: R$ 35,00 para Associados e R$ 45,00 para Não Associados

LOCAL: Auditório da CDL Vitória – Av. Governador Bley, 155, Centro – Vitória

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES: (27) 3232-2084 / cursos@fundacaocdlvitoria.com.br

CLIQUE AQUI e preencha a ficha de inscrição.

VAGAS LIMITADAS!

 

bem estar financeiro

Como garantir seu bem-estar financeiro.

Imagine ter liberdade para fazer escolhas que lhe permitam aproveitar a vida e ser feliz! E mais: conseguir guardar dinheiro para imprevistos, ter compromisso com seus objetivos financeiros e controle total sobre suas finanças!

Segundo uma metodologia desenvolvida pelo Consumer Financial Protection Bureau (CFPB), órgão americano de proteção ao consumidor, esses são os quatro pilares que indicam como anda seu bem-estar financeiro.

Em março de 2018, esses pilares foram aplicados em uma pesquisa com consumidores de 12 capitais brasileiras, com o objetivo de mensurar como anda o bem-estar financeiro por aqui.

Os resultados mostraram que, em uma escala de 0 a 100, o indicador do consumidor encontra-se em 48. “Isso indica que grande parte das pessoas ainda não se deu conta que o imediatismo com relação às finanças influencia no bem-estar de forma geral”, analisa José Vignoli, educador financeiro do SPC.

Na prática, apenas 11% dos brasileiros conseguem lidar com despesas inesperadas e a preocupação com a possibilidade do dinheiro acabar amedronta cerca de 28% das pessoas, que mostram não ter controle sobre as próprias finanças. E mais: expressivos 55% afirmaram que não fazem nada para assegurar seu futuro financeiro – apenas 12% têm condições de aproveitar a vida por causa da forma que administra o dinheiro.

Quer mudar esse panorama? Comece por você! Viver de bem com as finanças não é só ter dinheiro sobrando no bolso, mas saber investir para assegurar o futuro, aproveitar o presente e poder lidar com imprevistos a qualquer momento. A gente indica o caminho:

1o pilar: proteção contra imprevistos

Imprevistos acontecem. Poder contar com uma reserva própria, nesses casos, evitará muitas noites em claro. Segundo a pesquisa, apenas 11% das pessoas têm alguma reserva para lidar com despesas inesperadas.

Mas, como criar essa reserva? “Esperar sobrar o dinheiro para guardar pode ser uma armadilha. Os apelos do consumo estão por toda parte e é muito fácil ceder”, diz Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil. Afinal, se o dinheiro está à mão, quando você se der conta, já teve gastos que poderiam ser evitados. “A reserva deve ser encarada como um compromisso mensal. Mesmo que seja pouco, pois mês após mês a quantia vai crescendo com o reforço dos juros. Ao poupar, você ainda afasta o mau hábito de terminar o mês no vermelho, ou seja, em vez de pagar juros, vai receber”, completa.

Agora, para iniciar sua reserva, é preciso primeiro pagar as dívidas, caso existam. “Dependendo da modalidade em que dívida está contratada, ganha-se mais antecipando o pagamento e obtendo um desconto do que investindo em alguma aplicação. Em resumo, primeiro livre-se dos juros; depois, comece a juntar para receber juros”, explica Marcela.

É importante também rever passo a passo o que levou ao endividamento para evitar cair nessa mesma armadilha no futuro. “Geralmente um estilo de vida fora da realidade financeira acaba levando as pessoas a se endividaram”, diz Vignoli.

2o pilar: controle sobre as finanças

Você controla suas finanças ou elas te controlam? Segundo a pesquisa, a situação financeira controla a vida de 31% dos consumidores. E este problema amedronta as casas brasileiras: a preocupação com a possibilidade de o dinheiro acabar descreve cerca de 28% dos consumidores.

Como mudar essa situação? O primeiro passo é confrontar a realidade. Coloque na ponta do lápis todos os gastos e ganhos. Então, é preciso agir, ou seja, estabelecer prioridades e cortar gastos. “Reorganizar o orçamento pode levar tempo, mas faz diferença no fim do mês. Se não cortar gastos, o único jeito de conseguir um alívio no orçamento é aumentando os ganhos”, diz Marcela.

“Reveja seu estilo de vida e tome consciência de que você comanda o seu dia a dia”, completa Vignoli.

3pilar: compromisso com os objetivos financeiros

Mais da metade dos consumidores (55%) não está assegurando seu futuro financeiro e 61% nunca ou raramente têm dinheiro sobrando no fim do mês.

Apesar desses altos números, o brasileiro se mantém otimista: 46,6% acreditam que, por causa da sua situação financeira, terão aquilo que querem na vida.

“As pessoas não se dão conta de que o tempo passa e que é preciso estabelecer um compromisso com os objetivos financeiros o quanto antes”, explica Vignoli. Para ele, é necessário conversar sobre dinheiro em casa, inclusive, com as crianças, e criar um compromisso honesto com você mesmo – assim como pagar as contas, o dinheiro para investir precisa ser levado a sério.

Na prática, você precisará se comprometer com três tipos de reserva: para emergências, para aposentadoria e para os sonhos de consumo.

  • Comece pela reserva de emergência, e quando tiver uma quantia considerada segura, que varia de acordo com cada família, pense nas outras duas. Como regra de bolso, você pode considerar seis vezes o seu salário.
  • A reserva para aposentadoria irá depender do padrão de vida que você quer alcançar na velhice;
  • No caso da reserva para o sonho de consumo, estabeleça uma previsão de quando pretende alcançá-lo e, mais importante, quanto esse sonho custará. É com base nisso que você irá definir o valor a ser poupado mensalmente.

4O pilar: liberdade para fazer escolhas que lhe permitam aproveitar a vida

O controle financeiro não deve sufocar as possibilidades de aproveitar a vida – não se deve trabalhar apenas para poupar. O bem-estar financeiro configura também como você está no momento presente, se você usufrui do dinheiro que ganha.

Quando questionadas, apenas 12% das pessoas têm condições de aproveitar a vida por causa da forma que administra o dinheiro – e 55% dizem não possuir condições para isso. Dar um presente a alguém, exemplo de gasto simples e eventual, prejudicaria 26% dos consumidores nos dias de hoje.

“É preciso lembrar que o conceito de bem-estar financeiro prevê que o consumidor possa desfrutar o presente. Mas, cria-se um problema quando o foco no presente compromete o futuro. Uma dica bastante prática é, após ter suas reservas financeiras, destinar uma parte do orçamento para o lazer e, claro, permanecer dentro desse limite”, conta Marcela. Lembre-se também que nem todos os prazeres da vida são relacionados aos bens materiais!

Fonte: Meu Bolso Feliz

MAES

6 dicas para impulsionar as vendas no dia Dia das Mães.

Segunda data comemorativa mais importante para o varejo em faturamento, o Dia das Mães deve fazer com que 74% dos brasileiros realizem ao menos uma compra no período. Analisando a estimativa da pesquisa elaborada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), elaboramos algumas dicas para ajudar lojistas a alcançarem o melhor resultado nessa data tão cheia de possibilidade.

 

Confira seis dicas para impulsionar as vendas do seu negócio no Dia das Mães:

1 – Crie kits especiais

Na hora de escolher um presente, sempre surge aquela dúvida: o que levar? Sai na frente aquele lojista que já deixar preparado em sua loja alguns kits que possam ajudar os indecisos. Selecione alguns produtos que combinam uns com os outros e não esqueça de montar embalagens personalizadas.

 

2 – Ofereça uma boa experiência de compra

É importante investir na boa experiência que o consumidor terá na sua loja. Certifique-se que o seu negócio será capaz de receber os mais diversos perfis de clientes para que eles saiam de lá satisfeitos e realizados com a compra. Além de concretizar a sua venda, essa será uma ótima forma de fidelizar consumidores para outras ocasiões.

 

3 – Capriche nas embalagens

Qual mãe que não gosta de receber um presente em uma linda embalagem? As embalagens personalizadas têm o poder de encantar antes mesmo que ela descubra qual é o presente. Junto a ela, você pode oferecer ainda ao seu cliente um cartãozinho ou mimo bacana que tenha a ver com a sua marca.

 

4 – Invista na comunicação visual

A sua loja deve ser um ambiente agradável aos clientes. Não esqueça que a organização e conforto podem colaborar para que o seu consumidor saia satisfeito com a compra. Decoração temática e temperatura adequada são importantes pontos a serem considerados. Caso a sua loja tenha sonorização, opte por músicas que sejam agradáveis a todos os gostos.

 

5 – Ofereça promoções

Que tal oferecer bons descontos ao seu cliente? O Dia das Mães pode ser uma ótima oportunidade para fidelizar clientes para outras ocasiões do ano. Para isso, vale a pena investir em promoções, sorteios ou ofertas de brindes.

 

6 – Divulgue nas redes sociais

Na era digital, as redes sociais podem ser a sua mais forte aliada. Aproveite todas as plataformas que puder para divulgar os seus produtos e promoções. Use uma linguagem simples e divertida, além de caprichar nas fotos das suas mercadorias. Essa é a oportunidade para dar destaque a sua marca.

Fonte: CNDL

dia das maes

Vendas no Dia das Mães devem movimentar R$ 17 bilhões no comércio, mostram SPC Brasil e CNDL.

Cerca de 111,5 milhões de pessoas devem ir às compras. Gasto médio com presentes será de R$ 153. Para 59% dos consumidores, produtos estão mais caros do que em 2017

Segunda data comemorativa mais importante para o varejo em faturamento, o Dia das Mães deve fazer com que 74% dos brasileiros realizem ao menos uma compra no período. Segundo estimativas do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), aproximadamente 111,5 milhões de brasileiros devem presentar alguém neste Dia das Mães, o que deve injetar cerca de 17,05 bilhões de reais nos setores do comércio e serviços.

Embora o percentual de consumidores que devem ir às compras seja elevado, a maior parte dos compradores está receosa para aumentar gastos na comparação com o ano passado, procurando manter o orçamento livre de dívidas. Cerca de 19% dos consumidores entrevistados disseram que têm a intenção de desembolsar mais com os presentes. A maior parte, no entanto (36%), planeja gastar a mesma quantia que em 2017, enquanto 18% pensam em diminuir.

Entre os que pretendem gastar mais, as principais razões são comprar um presente melhor (58%), estar com uma renda melhor este ano (33%) e por acreditar que os presentes estão mais caros (29%). Já entre os que pretendem gastar menos, o fato de estar com o orçamento apertado (48%), querer economizar (27%) e estar desempregado (26%) são os principais motivos.

Gasto médio com Dia das Mães deve ser de R$ 153

O pagamento à vista será o meio mais utilizado pelos consumidores, sendo que em 53% dos casos o pagamento será em dinheiro e em 24%, no cartão de débito. O cartão de crédito parcelado será usado por 28% dos entrevistados. Entre os que dividirão as compras, a média é de quatro prestações por entrevistado.

De acordo com o levantamento, a maioria (44%) dos consumidores deve comprar apenas um único presente. Somente 8% dos entrevistados disseram que iriam comprar quatro ou mais itens.

Considerando a soma de todos os presentes adquiridos, o gasto médio do brasileiro no Dia das Mães deve ser de R$ 152,98. No entanto, praticamente um terço dos entrevistados (34%) estão indecisos e ainda não sabem ou não decidiram o valor que pretendem desembolsar este ano.

A maioria (59%) dos consumidores ouvidos pela pesquisa acredita que os produtos estão mais caros do que em 2017. Por outro lado, 38% consideram que os presentes estão na mesma faixa de preço e somente 2% acreditam que os produtos estão mais baratos.

Quatro em cada cinco entrevistados (83%) pretendem comprar o presente pagando sozinhos, 8% pretendem dividir o valor integral com outras pessoas e 4% afirmam que vão pagar sozinhos parte do presente, porém o restante será rateado com outras pessoas. A maior parte dos que vão dividir (44%) afirma que vai presentear juntamente com os irmãos, 24% com o cônjuge ou companheiro, 22% com outros familiares e 18% vão dividir com o pai.

Shopping será o principal local de compra. Roupas e perfumes lideram a preferência dos presentes

Neste ano, os produtos mais procurados serão as roupas (42%), perfumes (36%), calçados (23%) e cosméticos (21%). Questionados sobre o principal fator que os entrevistados levam em consideração na hora de comprar o presente, 27% elegeram a qualidade do presente, 21% priorizam o perfil da presenteada, 16% o desejo da presenteada e 13% o preço do presente. A própria mãe (79%) será a mais presenteada, como também as esposas (23%) e as sogras (19%).

Quanto aos locais de compras, os shopping centers são os destaques, com preferência para a compra da maioria dos presentes de 36% dos entrevistados. Na sequência aparecem as lojas virtuais (29%), os shoppings populares (19%), as lojas de rua/bairro (17%) e as lojas de departamento (17%). Para escolher o local, os fatores mais decisivos são o preço (56%), as promoções e descontos (43%), a qualidade dos produtos ofertados (42%) e a diversidade de produtos (25%).

O velho hábito de deixar tudo para a última hora também aparece nas respostas dos entrevistados. Cerca de 12% dos compradores acham que vão realizar as compras nas vésperas do Dia das Mães. Os que vão fazer as compras no início de maio representam 46% das pessoas ouvidas. A celebração será principalmente na casa da mãe (46%) e 27% comemorarão em suas próprias casas.

80% pretendem fazer pesquisa de preço antes de comprar

Perguntados se pretendem fazer pesquisa de preço antes de irem às compras, a maioria dos entrevistados (80%) afirma que sim, já 14% não pretendem, seja porque vão comprar nos estabelecimentos que já têm costume (6%), por gostarem de comprar o que veem e agrada (6%) ou por não terem tempo (2%).

Entre os que costumam fazer pesquisa de preços, a maioria (73%) utiliza sites na internet. Já 50% procuram os melhores preços em lojas de shopping, 46% em lojas de rua e 28% utilizam aplicativos de oferta.

Levando em consideração somente os que costumam pesquisar preços na internet, 72% recorrem ao Google, 51% utilizam sites de comparação de preços e 43% pesquisam nos mais variados sites de varejistas.

A pesquisa sinaliza que muitos dos consumidores que pretendem comprar presentes já extrapolaram o limite das suas finanças. Cerca de 36% dos entrevistados declararam ter atualmente alguma conta em atraso e 20% costumam gastar mais do que podem para presentear no Dia das Mães. Outros 5% pretendem deixar de pagar alguma conta para comprar o presente. A pesquisa mostra que dos 60% de consumidores que compraram presentes para o Dia das Mães em 2017, 21% ficaram com o nome sujo por causa dessas compras.

Fonte: CNDL