Notícias

17 de março de 2015

“A baixa participação política é o calcanhar de Aquiles do Brasil”

Durante palestra promovida pela CDL Jovem Vitória, o empresário Diego Calegari, criador do site Politize!, disse que o Brasil ocupa o 44° lugar no ranking da democracia.

“A baixa participação política é o calcanhar de Aquiles do Brasil”, afirmou o empresário catarinense Diego Calegari, palestrante da manhã de negócios realizada nesta terça-feira (17) pela CDL Jovem Vitória, no Enseada Restaurante. A ação fez parte da Semana Estadual do Jovem Empreendedor, que tem como tema “Crise 2015: desafios e oportunidades”. O evento é uma promoção da Federação Capixaba do Jovem Empreendedor (Fecaje).

Calegari é o idealizador do site Politize!, que no início deste ano ganhou um prêmio no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. O objetivo do portal, que será lançado em junho, é descomplicar a política brasileira.

“O Brasil está em 44° lugar no ranking da democracia porque não temos cultura política. Quanto menos as pessoas participam da política, menos os legisladores são cobrados para fazer aquilo que foram eleitos para fazer. Temos de parar com a terceirização da culpa. Não se trata apenas de trocar os governantes, mas de mudar as alavancas que fazem o sistema atual funcionar, pois ele não é um sistema que nos representa”, disse Calegari.

O empresário explicou que a ideia do Politize! é colocar uma “tecla SAP” na política para simplificá-la. “As pessoas se sentem distantes da política porque a veem como algo chato. No site, vamos trabalhar com conteúdos claros, simples e
com discursos plurais”.

Segundo Calegari, a plataforma que está sendo desenvolvida prevê o uso de infográficos, vídeos, games e textos para tornar o assunto interessante para toda a sociedade, mas principalmente para os jovens.

Para o presidente da CDL Jovem Vitória, Bruno Mazzei, mais do que serem empreendedores e inovadores, é importante que os jovens empresários assumam discursos políticos de enfrentamento.

“Temos de adotar posições políticas estratégicas e lutar por um sistema educacional inovador e de qualidade. Sem entendimento e envolvimento político, continuaremos sempre à mercê das decisões alheias. Educação é um ato político, e é também uma responsabilidade de todos”, opinou Mazzei.