Coragem e disposição nunca faltaram à empresária Lourdes Ferolla, sócia da Di Ferolla, uma das redes de bijuterias e acessórios mais tradicionais de Vitória. O negócio, que completa 36 anos em 2020, surgiu da necessidade de ajudar na cura da mãe de Lourdes e, hoje, já consolidado no mercado, está em processo de sucessão familiar. Confira mais detalhes neste bate-papo.

Como surgiu a Di Ferolla?

Surgiu da necessidade de ajudar na cura da minha mãe. Ela precisava se distrair, sair de casa, trabalhar para amenizar a depressão após cirurgia de um câncer de mama. Captamos a oportunidade de trabalhar com acessórios diferenciados, pois, na época, não havia em Vitória.

Como está o mercado de bijuterias e acessórios?

Excelente! Muitos designers talentosos, muitos profissionais surgindo da academia de moda e design, materiais alternativos, leves, artesanais, sustentáveis, pedrarias, correntes, semijoias, processos industriais e upcycling (reutilização criativa com melhor qualidade ou com maior valor ambiental). O mercado está muito concorrido, com lojas físicas e multicanais de vendas especializados ou completando o mix de moda.

Você acredita que o ambiente de negócios está melhor hoje, se comparado à década de 80, quando a Di Ferolla surgiu?

Está diferente. Melhor em alguns pontos, pior em outros. Mas, com certeza, mais desafiador, com muito mais ferramentas e informações, com muito mais acesso à capacitação e recursos financeiros para desenvolver qualquer negócio.

Quais os principais desafios para quem deseja empreender atualmente?

Estruturar um modelo de negócio que consiga praticar a gestão de pessoas, gestão financeira, inovação, marketing e vendas com essa enorme burocracia que enfrentamos. Manter proximidade e diálogo constante com sócios, parceiros, comunidade e stakeholders. Além disso, ter habilidade para conciliar vida profissional e pessoal com qualidade de vida.

A Di Ferolla prepara alguma novidade para 2020?

A Di Ferolla está em processo de sucessão familiar e as sucessoras têm projetos para este ano, mas, por enquanto, os planos são confidenciais.

Fale um pouco da sua relação com a CDL. Há quanto tempo é associada e qual a importância da entidade para o seu negócio?

Estou na CDL há 26 anos e, atualmente, ocupo o cargo de diretoria social. A entidade impacta diretamente na gestão da Di Ferolla quando disponibiliza um mix de soluções, informações, contatos, capacitação, eventos e network que auxiliam na tomada de decisões no dia a dia da empresa.

Contratamos excelentes serviços, como plano de saúde para os funcionários, certificado digital e consultoria jurídica.

Participo das reuniões plenárias, tenho contato com empresários de vários segmentos e faço uma troca valiosa de experiências. Acompanhando a CDL Jovem, renovo a esperança e a certeza de que estão chegando ao mercado líderes excelentes.

Por meio da entidade, também participo de convenções estaduais e nacionais, de feiras locais, regionais e nacionais, da NRF, de visitas técnicas e palestras sobre diversos temas, o que contribui para o aperfeiçoamento contínuo da gestão do meu negócio.

Recommended Posts