33% dos consumidores pretendem participar da brincadeira, enquanto 41% dos que não participarão querem evitar aglomerações devido à pandemia da COVID-19

O “Amigo Secreto”, também conhecido como “Amigo Oculto”, seguirá como tradição em 2020, pelo menos para 33% dos consumidores que vão presentear no Natal. É o que mostra pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas – CNDL, em parceria com a Offer Wise Pesquisas. Segundo o estudo, o dado representa uma queda de 9 pontos percentuais em relação a 2019. Ainda assim, diante dos efeitos da pandemia, a previsão é de que cerca de R$ 5,6 bilhões sejam injetados na economia.

Estima-se ainda que 52,2 milhões de pessoas participem de pelo menos algum “Amigo Secreto” no trabalho ou na família. As principais motivações apontadas pelos entrevistados foram o fato de gostar desse tipo de celebração (53%) e considerar a brincadeira uma boa maneira de se economizar com presentes (39%). Há ainda aqueles que, apesar de entrar na brincadeira, sinalizaram não gostar desse tipo de comemoração: 17% disseram que participam para não serem vistos como antissociais.

Entre os 49% que não pretendem participar: 41% querem evitar a aglomeração de pessoas devido as restrições impostas pela pandemia, 33% não gostam da brincadeira e 22% porque parentes, amigos e colegas de trabalho não têm o costume de fazer esta brincadeira.

Metade (50%) dos entrevistados pretendem participar de apenas um evento e outros 39% de dois. Em média, os consumidores pretendem participar de 1,7 eventos de amigo secreto. A maioria (72%) realizará a brincadeira entre os familiares, seguidos daqueles que farão o amigo secreto entre amigos (36%) e colegas de trabalho (30%).

Em média, os consumidores ouvidos pretendem gastar R$ 64 com cada presente, sendo que 46% planejam desembolsar até R$ 50. “O amigo secreto é uma maneira das pessoas presentearem sem gastar muito, não só nas confraternizações do trabalho, mas também entre os familiares”, explica o presidente da CNDL, José César da Costa.

METODOLOGIA

Público alvo: Consumidores das 27 capitais brasileiras, homens e mulheres, com idade igual ou maior a 18 anos, de todas as classes econômicas (excluindo analfabetos) e que pretendem comprar presentes para o Natal.

Método de coleta: pesquisa realizada via web e pós-ponderada por sexo, idade, estado, renda e escolaridade.

Tamanho amostral da Pesquisa: 968 casos em um primeiro levantamento para identificar o percentual de pessoas com intenção de comprar presentes no Natal. Em seguida, continuaram a responder o questionário 606 casos, que tinham a intenção de comprar presente no Natal. Resultando, respectivamente, uma margem de erro no geral de 3,1 p.p e 4,0 p.p para um intervalo de confiança a 95%.

Data de coleta dos dados: 14 a 20 de outubro de 2020.

BAIXE A PESQUISA COMPLETA: https://bit.ly/2VJWgWO

Fonte: CNDL

Recommended Posts